(Pequeno) Manifesto do nada sobre porra nenhuma.

Olá! Tudo bem?

A um tempo atrás comecei a escrever no blog para tentar extravasar a quantidade de músicas que ouvia e não tinha com quem falar.

No começo funcionou muito bem, conseguia publicar todo dia, conseguia escrever uma boa quantidade de posts de uma vez e deixava guardado. Depois com o instagram a mesma coisa, as bandas independentes que eu ouvia, mas não conhecia nem um pouco publicava direto por lá, é legal porque toda publicação undergroud recebo feedback dos integrantes na mesma hora.

Agora você me pergunta, “O que eu tenho a ver com isso?”
Nada ué, o blog é meu e eu escrevo o que eu quero!  😀

Descobri recentemente que tenho uma resistência grande em abandonar a minha rotina, não estou me referindo a vícios e afins, quero dizer em relação aos casos em que o mundo conspira para você se arrastar da cama em direção ao sofá, ficar grudado nele durante 12 sem tirar o pijama e só levantar para buscar a pizza na portaria.
Com essa revelação, entendi que eu consigo executar minhas coisas normalmente, mas tendo que exercer um esforço descomunal. A minha vida não para, mas para não pensar nos problemas acabo tendo que travar uma luta quase física para deixar dentro da caixola só o que importa, mas nos últimos dias o blog acabou sendo relegado a um segundo escalão de prioridades. O que aconteceu foi o seguinte:

Um amigo meu… Está muito descontente com seu trabalho e veio conversar comigo sobre o que poderia fazer para mudar. Coitado, até que está alocado em um lugar legal, mas ele já não vê mais sentido no que faz e a porra do trabalho está sugando toda sua energia. Pobre alma, não sabe o que fazer, ele consegue exercer muito bem sua profissão, mas quando olha ao seu redor a única vontade que tem é de sair correndo ou explodir tudo e ver os restos pegar fogo, mas isso não vem ao caso. Então fiquei muito comovido por sua situação, ele é uma grande pessoa, um cara excepcional, inteligentíssimo, uma das pessoas mais idôneas que conheço, o cara mais legal do mundo quando é pra se sentar numa mesa de bar para tomar uma cerveja e reclamar no governo de esquerda, reclamar da oposição de direita e perguntar quando sai o próximo Star Wars, puxa vida, como ele é foda. Ele é um cara tão espetacular, que eu me comovi com sua situação, e ao saber disso tudo, não consegui mais escrever uma vírgula.

Pra ser sincero, me senti tão broxado por ele que mal tinha animo para manter a minha rotina musical, passei um tempo ouvindo o de sempre, meio que parei de escrever, parei de ouvir os programas usuais e o blog ficou largado às moscas.

Agora estou o ajudando a encontrar formas de se desprender da sua área de formação, vamos ver se ele consegue trabalhar com outras coisas, ou no mínimo trabalhar menos e ter mais tempo para fazer outras atividades remuneradas ou não remuneradas.

Passei as últimas semanas organizando algumas coisas pra colocar em pratica algumas ideias, vou tentar postar regularmente novamente, pelo menos uma vez por semana.
Ah, e pode deixar que assim que meu amigo tiver alguma noticia ou conseguir largar tudo para fugir com o circo, aviso por aqui!

Um comentário em “(Pequeno) Manifesto do nada sobre porra nenhuma.

Comente

%d blogueiros gostam disto: