Empyrios – And The Rest Is Silence (2003)

Empryrios é o tipo de banda que duvido um pouco todo mundo gostar de todos os discos (mesmo que sejam só três).
O último lançamento, Zion de 2013, já tava na minha lista pra ouvir a muito tempo, escutei uma música em alguma radio online e fui atrás do álbum completo pra ver no que dava. Em sim ele é bom, muito bom por sinal, bem feito, qualidade boa, mas já tem muita influencia de Djent, aquelas levadas de guitarra e tons mais baixos com aquela pegada bem quebrada, ao mesmo tempo em alguns momentos as musicas parecem de power metal, sinto como se tivesse ouvindo alguma coisa do Russel Allen! Não que nada disso seja um problema, mas juntando isso tudo com os vocais em alguns momentos limpo e em outros rasgado, fica meio bagunçado. Mas veja bem, ficou bagunçado PRA MIM, mesmo assim reconheço que é um bom disco, sei que agrada a muita gente.

Então porque não estou falando de Zion, você me pergunta.
Fui dar uma olhada por ai pra ver os outros discos, o que a banda toca de fato, enfim, fui dar uma geral. Acabei descobrindo que eles se identificam como Prog, e apesar das técnicas usadas, Zion tava muito mais pra influencias de progressivo do que progressivo de fato, acabei vendo que eles saíram na lista de “Melhores álbuns de Djent de 2013” e não ficam muito felizes com isso, foi ai que resolvi buscar o que tinha ficado pra trás.

Esses dias eu ouvi os dois primeiros disco na ordem de lançamento, And The Rest Is Silence de 2003 é bem mais progressivo, vocais bem agudos e nada rasgados, bastante uso de teclado, 2 ou 3 músicas instrumentais, e é foda pra caralho!! Parti para o segundo, The Glourious Sickness de 2006 continua na mesma pegada, mas deu uma profissionalizada violenta, não que o álbum anterior fosse amador, mas agora os vocais estão menos agudos, tem mais uso de backing vocals, pegadas eletrônicas e efeitos de voz, tecnicamente e a produção evoluíram. Esse foi o disco que lançou a banda como um nome de peso.

E qual é a recomendação?
Bom… depende de como você gosta de absorver música, nesses casos eu gosto de ir na ordem de lançamento, tem gente que prefere ir “no ponto alto” e depois explorar, fica ao seu critério. Só deixa por último o Zion de 2013. Como minha primeira impressão boa foi com o primeiro, vou deixar o mesmo aqui em baixo, depois você corre atrás do segundo.

Link: https://open.spotify.com/album/4UTRZRty11H4Dk06CKRvea
URI: spotify:album:4UTRZRty11H4Dk06CKRvea

Conteúdo relacionado

Comente

%d blogueiros gostam disto: